PROJETO MIRIMSÃO PAULO, SP

   

Quando pensamos em espaços de brincar para crianças, vinham à memória locais áridos, com muita incidência de sol, cercados, separados e do lado de fora os adultos que acompanham as crianças. Nesse projeto, procuramos transformar essa prática comum no desenho desses recintos através uma abordagem nova. Além de ser um espaço de brincar trata-se de um lugar público e um espaço onde adultos, jovens e crianças possam dividir e conviver. Pensamos em sombra, num local fresco e repleto de vegetação, de preferência adaptável as condições pré-existentes.

Um elemento estrutural solto do piso, com trechos retilineos e conexões em curva e que portanto se adapta aos caimentos naturais do terreno e desvia facilmente das árvores existentes. Componentes em madeira laminada são plugados a estrutura metálica para uso recreativo das crianças - mesas de ping-pong, balanços, escorregador, gangorras, etc. Outros elementos em concreto pré-moldado definem os equipamentos destinados tradicionalmente ao estar - bancos, mesas, canteiros. A forma, o tamanho, a quantidade de equipamentos e a disposição entre eles é variável em função do local, da vegetação, da vocação do local e principalmente do desejo das pessoas que irão usar o espaço. O projeto foi pensado como um sistema que pode ser facilmente adaptado tanto a geografia quanto aos desejos dos usuários.


Inicio do projeto: março de 2017

Endereço: em espaços públicos
Área construída: variável
Projeto de arquitetura: Gustavo Cedroni, Martin Corullon, Juliana Ziebell e Luis Tavares.

Projeto de estruturas: INNER Engenharia e Gerenciamento